Livros

Estes são alguns dos livros que temos (e lemos) sobre cerco, artilharia e engenharia antiga e que recomendamos:

 

E.W. Marsden’s  Greek and Roman Artillery (Historical development)” & “Greek and Roman Artillery (Technical treatise)”

Estes são dois dos melhores livros de seu tipo, dedicados exclusivamente à artilharia do período clássico, para os quais são os livros de referência.

Temos a sorte de possuir a reedição de 1999 da edição original de 1969, uma vez que estes livros são hoje difíceis de encontrar.

Como seria de esperar após tantos anos, o conhecimento e a ciência evoluíram e algumas das interpretações de Marsden são hoje questionáveis, mas ainda constituem a base em que os autores posteriores se basearam e é por onde se deve começar.

Sir Ralph Payne-Gallwey’s The Book of the Crossbow

Como o nome implica, é principalmente sobre béstas. Contudo tem um delicioso capítulo final dedicado às máquinas de cerco, uma verdadeira revolução considerando que o livro foi escrito em 1903. O autor reconstruiu um catapulta e uma balista, embora à luz do conhecimento de hoje em dia tenham pormenores anacrónicos e o livro inclui planos para a sua construção.

Muitas gravuras e desenhos. Ele inclui uma série muito boa de desenhos e gravuras dessas armas, comentadas com um espírito crítico (tomara que todos os autores modernos fossem assim).

Pode-se medir a popularidade deste livro pelo facto de as cópias fac-símile serem baratas e fáceis de encontrar.

 

Konstantin S. Nossov’s Ancient and Medieval Siege Weapons: A Fully Illustrated Guide to Siege Weapons and Tactics

É um livro brilhante, pois traz uma visão fresca sobre o assunto, com uma diferente perspectiva e acesso a fontes anteriormente não publicadas (nomeadamente do Leste europeu). Este livro faz com que alguns livros de historiadores de língua inglesa pareçam fotocópias chatas. Se pretende um livro de referência, arranje este.

J.G. Landels’ Engineering in the Ancient World

É um livro muito interessante sobre engenharia, com uma pequena parte sobre catapultas. Mas a parte que tem, é muito boa e aborda pontos não focados por outros autores. O livro transmite um sentimento de admiração sobre os engenheiros da época clássica grega e romana. Não tem muitas fotos, alguns diagramas. O capítulo 5 é dedicado às catapultas. Como o livro do Marsden, é um tomo básicoe fundamental.

Dick Parry’s Engineering the Ancient World

Uma edição agradável, muito bem ilustrada com fotos, cobrindo a maioria dos assuntos habituais (hidráulica, fortificações, arquitectura...) e não apenas sobre a bacia do Mediterrâneo (embora principalmente). No entanto, não tem nada sobre catapultas.

L.Sprague De Camp’s The Ancient Engineers

O autor é mais conhecido pelos seus livros de ficção científica e fantasia (Conan), mas neste volume transmite a sua paixão e admiração para os engenheiros do passado. Tem fotos e diagramas (mas não muitos), e é uma boa leitura, não excessivamente técnica ou cheia de calão técnico.

Paul Bentley Kern’s Ancient Siege Warfare

O livro começa nas primeiras fontes conhecidas na Mesopotâmia e segue até o Império Romano. Não tem muito do género de ilustrações, mas é um livro sério e bem pensado, com uma atenção sobre o tratamento das cidades capturadas em cada época.

Duncan B. Campbell’s Besieged: Siege Warfare in the Ancient World

É uma edição maravilhosa e profusamente ilustrada a cores. Embora o livro não ofereça nada novo em termos de ciência ou história, é uma boa revisão geral e introdução ao tema.

Jim Bradbury’sThe Medieval Siege

O autor tem um estilo de escrita um pouco chato. É um livro comum, que cumpre, mas não apaixona. As imagens padrão a preto e branco, diagramas e fotos podem ser vistas numa série de outros livros.   

John Norris’ Medieval Siege Warfare

Outro livro comum, que cumpre, mas soa um pouco oco. As mesmas fontes e exemplos podem ser lidos numa série de outros livros. Não se pode deixar de pensar que não seria mau se tivesse um pouco mais de veracidade histórica e espírito crítico: algumas das peças de artilharia apresentadas são apenas fantasia, tal como o livro do Nossov refere (e o do Payne-Gallwey). Vale pelas boas fotografias de reconstituição histórica, incluindo uma série a cores.

  Martin Windrow’s The Great Sieges

É interessante porque abrange mais de 2000 anos de história de cerco, a partir do período clássico grego até ao século XX. Uma edição muito agradável, com alguns esquemas, mas não muitas fotos.

Christopher Duffy’s  Siege Warfare: Fortress in the Early Modern World, 1494-1660”

Com o aparecimento da artilharia pirobalística moderna, podemos ver que, apesar de algumas coisas mudarem, outras permanecem as mesmas: cercar, romper as muralhas, minar e o tratamento dado às cidades capturadas.

J. Warry’s Warfare in the Classical World: An Illustrated Encyclopaedia of Weapons, Warriors and Warfare in the Ancient Civilizations of Greece and Rome

Um livro sobre a guerra no mundo clássico, entendido principalmente como as épocas de ouro dos gregos e romanos. Vai apresentando a diversa artilharia e a sua evolução. Vai buscar muitas coisas ao Marsden e ao Landels (ou seja não é nada novo, mas são as referências sólidas) mas tem óptimas ilustrações e é um óptimo livro no geral.

Peter Connolly’s Greece and Rome at War

É semelhantes ao livro do Warry, em âmbito e estilo (desenhos maravilhosos), mas com uma visão totalmente independente, como é apanágio de um historiador sério (muita gente podia aprender com estes dois). Não é assim muito detalhado na artilharia, mas o Appendix 2 tem algumas das melhores e mais conhecidas ilustrações de artilharia de torção.

Vitruvius’ The Ten Books on Architecture

Se pretende ir direito à fonte, o Livro X deste Tratado refere-se a armas e práticas de cerco a partir do seu Capítulo 10, incluindo a descrição dos componentes dos “escorpiões” (Scorpio) e catapultas e as suas proporções.

Temos a sorte de ter sido recentemente republicado pelo IST, numa tradução portuguesa anotada de M. Justino Maciel.

 

VegetiusEpitoma Rei Militaris(Epitome of military Science)

É um livro Clássico, escrito em sec. III em complicadas condições militares e políticas (desintegração do Império Romano) e aborda por alto a utilização e os tipos de artilharia da época.

William Gurstelle’s The Art of the Catapult: Build Greek Ballistae, Roman Onagers, English Trebuchets and More Ancient Artillery

É um livro divertido e prático sobre construir brinquedos e modelos que usam os princípios da artilharia acima  mencionados.

 And, of course, all the Osprey’s, that are good quick-reference books, with nice illustrations and they have been expanding on the siege theme:

Medieval Siege Warfare
Medieval Siege Weapons 1: Western Europe
Medieval Siege Weapons 2: Byzantium, the Islamic World and India
     
Siege Weapons of the Far East: AD 612-1300 v.1
Siege Weapons of the Far East: AD 960-1644 v.2
Siege Warfare in the Roman World: 146 BC-AD 378
     
Ancient Siege Warfare: Persians, Greeks, Carthaginians and Romans, 546-105 BC
Greek and Roman Siege Machinery 399 BC-AD 363
Greek and Roman Artillery 399 BC - AD 363
     

Artigos (papers)

·         Dietwulf Baatz (1978) “Recent Finds of Ancient Artillery

·         Werner Soedel and Vernard Foley (1979) “Ancient Catapults

·         V.G. Hart and M.J.T. Lewis (1986) “Mechanics of the Onager

·         Paul E. Chevedden, Les Eigenbrod, Vernard Foley and Werner Soedel (1995) “The Trebuchet

·         John Anstee (1998) “’Tours de Force’ an experimental Catapult/Ballista”

·         Paul e. Chevedden (2000) “The Invention of the Counterweight Trebuchet: A Study in Cultural Diffusion

·         Eliseo Gil, Idoia Filloy and Aitor Iriarte (2000) “Late Roman military equipment from the city of Iruña/Veleia

·         Alan Wilkins (2000) “Scorpio and cheiroballistra

·         Donald B. Siano (2001) “Trebuchet Mechanics

·         Aitor Iriarte (2003) “The Inswinging Theory

·         Current World Archaeology (2003) “Roman Artillery - The archaeology of a Roman technological revolution: the cheiroballistra

 

 

Links

 

Lancaster Armory(http://www.lancasters-armourie.co.uk/)

 

Roger Lankford é um amigo e as suas armas e armaduras são as melhores, sendo as espadas quase inquebráveis.

A sua abordagem de manter o aspecto medieval mas utilizar engenharia de materiais modernos para oferecer uma peça fiável e segura, é similar à do Cerco21. 

Knights's Armoury(http://www.stormthewalls.kicks-ass.net/)

 

O site do Kurt Suleski parece que existe desde o início da Internet, mas agora tem um nome DNS, não apenas o número-ponto-número. Ele inspirou muita gente a construir armas de cerco e tem imenso conteúdo nas suas páginas, incluindo fotos e esquemas de construção.

Espada Lusitana (http://www.espadalusitana.com/)

Grupo de recriação histórica portuguesa especializado em esgrima, onde temos vários amigos.

FPE - Federação Portuguesa de Esgrima (http://www.fpe.pt/)

Esta federação organiza e orienta a prática e a competição de esgrima moderna.

FPEA - Federação Portuguesa de Esgrima Histórica (http://fpesgrimahistorica.com/)

Federação recém-criada para orienta e regulamenta as práticas de esgrima antiga e histórica.

FABP - Federação dos Arqueiros e Besteiros de Portugal (http://www.fabp.pt/)

Esta Federação organiza o Campeonato Nacional de Caça e Campeonato Nacional de Campo, onde se pode atirar com bestas e arco longo ou arcos tradicionais.